Skip links

Pterígio

Pterígio

É uma membrana benigna na superfície do olho, de tecido fibrovascular que cresce em direção à córnea, predominantemente no lado nasal. É popularmente conhecido como “carne crescida”, ou erroneamente denominado de “catarata”.

Sua causa exata é desconhecida, mas sabe-se que sofre influência da radiação solar, vento ou areia, portanto tem maior incidência nas regiões próximas ao Equador, além disso, há uma incidência duas vezes maior no sexo masculino, e certa predisposição familiar.

Seus sintomas incluem vermelhidão constante, irritação e inflamação frequentes, sensação de corpo estranho e coceira. Devido ao seu crescimento sobre a córnea pode afetar a visão, induzindo ao aparecimento de astigmatismo e manchas cicatriciais.

Pode ser previnido tomando alguns cuidados, como: uso de óculos solares, chapéus e lágrimas artificiais. Quanto ao tratamento, em lesões iniciais pequenas, observação e o uso de colírios é o suficiente para amenizar os sintomas, principalmente em pacientes jovens, nos quais a recidiva é mais frequente.

Nas lesões maiores, com sintomas mais importantes, há a necessidade da remoção cirúrgica antes do aparecimento de sequelas definitivas e do comprometimento visual.

O procedimento cirúrgico é rápido, com boa recuperação, variando desde a remoção simples da lesão, mantendo a esclera nua, podendo associar o uso de betaterapia nos primeiros dias. Outra técnica muito usada é utilização de autoenxerto conjuntival, o qual é fixado ao local da retida da lesão através de pontos ou cola adesiva, diminuindo muito a incidência de recidiva, e acelerando a cicatrização em poucos dias. Na impossibilidade do uso de autoenxerto, temos a opção de utilizar membrana amniótica com bons resultados, mas de difícil disponibilidade.

Nos casos suspeitos de recidiva, o uso de mitomicina C, na apresentação de colírios, logo no início do diagnóstico, tem excelentes resultados, evitando o crescimento da lesão em quase praticamente todos os pacientes.

Return to top of page